Girl Power

Parabéns, Jennifer Aniston!

Parabéns, Jennifer Aniston!

Hoje é aniversário da Jennifer Aniston, e não basta desejar que ela tenha um “feliz aniversário”, e sim dar os parabéns, porque ela merece.

Jennifer Aniston merece os parabéns não só pela sua carreira, mas por ter enfrentado o machismo tantas e tantas vezes nesses 49 anos, e uma delas eu conheço muito bem, porque assim como ela, eu também não quero ter filhos, e ainda que seja 2018, isso ainda é visto com preconceito e pena. Algumas pessoas me perguntam um motivo, como se precisasse de um, e eu realmente não tenho, como provavelmente ela também não tem.

Numa carta ao Huffington Post, mais de uma década depois do divórcio com o Brad Pitt, ela desabafou falando das pressões que ela passou (e várias mulheres também):
“Meu casamento foi desacreditado, meu divórcio foi desacreditado, fui julgada por não ter um parceiro, meus mamilos foram julgados”, disse a atriz. “Por que nós só olhamos para as mulheres através dessa lente específica de caçar defeitos? Por que nós damos ouvidos a isso? Eu trabalhei muito duro nessa vida e nessa carreira para ser diminuída a uma humana triste e sem filhos. Nós somos completas com ou sem um parceiro, com ou sem uma criança”.

Várias vezes a mídia cogitou uma gravidez dela, e ela teve que se explicar várias e várias vezes falando que não estava, como em 2016, também ao Huffington Post:

“A enorme quantidade de recursos gastos pela imprensa tentando simplesmente descobrir se estou ou não estou grávida aponta para a perpetuação desta noção de que as mulheres são de alguma forma incompletas, sem sucesso, ou infelizes, se não estão casadas e com filhos. Eu não estou grávida, eu estou farta!”.

Eu falei sobre não querer ter filhos aqui, na minha coluna no Superela, e por mais que pareça não ter nada a ver com a minha profissão (como consultora de estilo), tem muito a ver com as mulheres que eu atendo, que tem uma autoestima baixa por não serem como a sociedade queria que a gente fosse, por não fazer as escolhas que as pessoas acham que a gente deveria fazer. Isso abala a nossa autoestima, nos afeta como mulheres, como profissionais e como pessoas, e com a autoestima abalada, a gente não é feliz!

E antes de eu ser consultora de estilo, eu sou Psicóloga, e muito antes de ser psicóloga, eu sou mulher, e também sofro com os padrões da sociedade, as cobranças e as expectativas alheias sobre como o meu corpo, os meus looks e a minha vida pessoal deve ser. Eu também fui cobrada e criticada por ter abandonado a minha carreira de psicóloga aos 33 anos e ter arriscado numa outra profissão. Também fui criticada quando me divorciei e continuo sendo criticada sempre que falo que não quero ser mãe.

Por isso me indignei ontem ao ver a Bruna Marquezine ser atacada na internet por causa da sua fantasia de carnaval, e por isso interrompi meu descanso de domingo pra dar os parabéns à Jennifer Aniston, e à todas as mulheres corajosas como ela, que são o que são, independente da opinião alheia.

Jennifer Aniston não estava torcendo pelo fim do casamento do Brad Pitt com a Angelina Jolie, porque ela não incentiva a competição feminina e já deu vários discursos mostrando sororidade. E também não estava esperando o casamento dele acabar para eles voltarem (apesar de eu ter ficado muito feliz, porque sempre serei #TeamAniston)..

A Jennifer Aniston merece ser respeitada como mulher, como pessoa e como profissional, merece ter as suas escolhas respeitadas, a sua vida e a sua história respeitada.

E apesar do gif “no uterus, no opinion”, infelizmente, grande parte do julgamento, críticas e cobranças ainda vem das mulheres, como acontece comigo, como acontece com a Jennifer Aniston e como aconteceu ontem, com a foto da Bruna Marquezine. E por isso esse post é pra dar parabéns a ela, que consegue se sentir feliz e completa apesar de tantas dificuldades e problemas.

Facebook Comments

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *