Estilo

Os destaques do Baile da Vogue 2017

Os destaques do Baile da Vogue 2017

Na última quinta-feira, dia 16, aconteceu a já tradicional festa de abertura do Carnaval de São Paulo: O Baile da Vogue.

O tema dessa edição foi “Lady Zodiac”, e para representar oficialmente os 12 signos da astrologia, foram convocadas as belas: Giovanna Antonelli (peixes), Adriane Galisteu (áries), Mariana Ximenes (touro), Ana Beatriz Barros e Fernanda Motta (gêmeos), Claudia Leitte (câncer), Bruna Marquezine (leão), Giovanna Ewbank (virgem), Cleo Pires (libra), Luciana Gimenez (escorpião), Taís Araújo (sagitário), Claudia Raia (capricórnio) e Vanessa da Mata (aquário). A atração principal da noite foi a cantora Anitta.

O traje do Baile da Vogue é gala ou fantasia, e as fashionistas, nomes do high society e celebridades  se inspiraram nos signos do zodíaco, nas constelações e no sistema solar para desfilar looks onde os brilhos (em paetês e tecidos metalizados). Veja os destaques do Baile da Vogue 2017:

Sabrina Sato

Não dá pra falar de Baile da Vogue sem falar da Sabrina Sato. A cada ano ela se supera, e os seus looks misturam ousadia, criatividade e sensualidade. Esse ano ela se inspirou no espaço para representar o seu signo (Aquário).

Adriane Galisteu

Além de ser uma das mulheres que eu mais acho linda, ela é ariana como eu. O seu vestido tinha um decote profundo (que eu AMO e sou super a favor em mulheres com seios pequenos, como eu e ela) e muitos brilhos, além de fendas.

Bruna Marquezine

A atriz é leonina e estava com um vestido longo dourado que remetia ao rei das Florestas, numa mistura de gala e fantasia.

Fernanda Motta

Estava representando o signo de gêmeos num modelito Le Lis Blanc super decotado nas costas e fenda. A chocker completou o visual.

Claudia Raia

Pra mim foi uma das fantasias mais bonitas da noite, representando o signo de Capricórnio. O vestido era sexy, com transparência e decote frente-única, numa das cores que mais me valorizam.

Polêmica do Baile da Vogue 2016

No ano passado o Baile da Vogue teve como tema “Pop África”, e além de ter pouca representatividade de negros (a revista Vogue não costuma trazer mulheres negras na capa ou nas suas matérias mais importantes), teve casos de apropriação de cultura negra e até Black Face, com pessoas pintando a pele de preto, encrespando o cabelo e usando dreads para “se fantasiar de africano”, o que repercutiu muito mal, principalmente depois do Grammy 205, quando o pessoal do Fashion Police chamou a Zendaya de “suja” por causa dos seus dreads numa festa de gala.

Facebook Comments