Consumo Consciente

Consumo consciente é comprar só o que você precisa

Consumo consciente é comprar só o que você precisa

Um dos propósitos da minha profissão é falar sobre consumo consciente, não só para as minhas clientes da consultoria de estilo, quanto com as pessoas que leem os meus artigos na internet ou compram o meu curso online para serem suas próprias consultoras de estilo, e justamente por falar para pessoas reais, como eu e você, eu gosto de considerar o fato de que muitas pessoas não podem deixar de consumir fast fashion ou parar de comprar na Forever 21, por exemplo.

O mundo seria um lugar melhor se a gente tivesse dinheiro para comprar apenas peças politicamente corretas, de empresas que respeitam os direitos dos trabalhadores e o meio ambiente, mas a realidade é que muitas de nós não podemos deixar de comprar em lojas de departamento, porque o orçamento não permite. Então, se você também não pode deixar de comprar em lojas de departamento, esse texto é pra você.

Eu sempre levo as minhas clientes em lojas de departamento como a Zara, C&A, Renner e Riachuelo, porque o dia de compras é um momento de aprendizado para a cliente, e lá ela aprende que roupa barata também pode ser bacana e também pode vestir bem, mas sempre olho a etiqueta interna das peças junto com a cliente para priorizar peças feitas no Brasil, além de ensinar a ver a composição do tecido e as instruções de manutenção.

Diferença entre precisar e querer

Mas, antes de entrarmos nessa questão, vamos falar sobre a diferença entre PRECISAR e QUERER. Quando eu digo que consumo consciente é comprar só o que você precisa, eu não estou falando de quem sai da loja carregada de bolsas toda semana, pra encher o guarda-roupas de peças que vão ser usadas 2 vezes e depois esquecidas no fundo da gaveta, porque isso é QUERER ter variedade, QUERER estar na moda e vestir o que é novidade, e não uma necessidade.

Quando você compra 5 blusinhas baratas numa loja de departamento só pra ter 5 blusinhas a mais, sabendo que a vida útil dela é pequena (pela qualidade do material) e que você só vai usar 2 vezes cada uma, você não está consumindo de forma consciente, e fazendo mal para o seu bolso e para o meio ambiente, além de estar incentivando o trabalho escravo – já que não dá pra vender nada barato pagando um preço justo a quem produz.

Note que eu não estou dizendo que é errado querer estar na moda e nem ter variedade, e sim que querer é diferente de precisar. Mesmo se você usar o verbo precisar pra dizer que você precisa estar na moda, no sentido de ser algo importante pra você! ♥

Mas se você PRECISA comprar 5 blusas porque as que você tem em casa já não estão boas, ou não cabem mais em você, ou porque você vai começar num emprego novo e usar suas roupas para trabalhar, ou qualquer que seja a sua necessidade, e só pode comprar em lojas de departamento porque geralmente é onde tem peças mais baratas, você pode considerar que está consumindo consciente sim. Consciente com o seu bolso, com o seu orçamento e com a sua necessidade, mesmo sabendo a procedência da peça, mesmo sabendo que ela não vai durar. É fazer o que pode com os recursos que se tem.

Vamos usar outro exemplo pra ilustrar melhor essa diferença. Você PRECISA de um celular, mas não tem dinheiro pra comprar um top de linha, com a melhor câmera, muito espaço e o status que um aparelho caro pode te dar. Você tem duas opções: Comprar um aparelho de qualidade inferior, com o dinheiro que você pode gastar, ou comprar um aparelho do jeito que você QUER, que foi roubado e por isso vão te vender mais barato.

Consumo consciente fala de procedência e de destino das peças, fala de alternativas como troca de peças e compra de peças já produzidas (em brechó, por exemplo), fala de necessidades pessoais e de recursos financeiros de quem compra, e você precisa consumir de acordo com a sua consciência. E se cada um fizer o que a sua consciência diz que é certo, com certeza teremos um mundo melhor pra todo mundo!

Facebook Comments