Consumo Consciente

Moda sustentável: 5 atitudes simples que você pode tomar

Moda sustentável: 5 atitudes simples que você pode tomar

Esses dias eu me reuni com uma possível cliente pra um café e ela ficou até vermelha ao me confessar que adora comprar na Forever 21. Ela disse que tinha lido o meu texto com críticas sobre a loja, e eu falei pra ela ler também o texto que eu falo sobre o que eu acho que é consumo consciente de verdade quando o assunto é moda.

Ela virou cliente e durante o processo da consultoria de estilo vai aprender tudo que eu vou falar aqui e muito mais, mas a nossa conversa rendeu a vontade de fazer um texto com 5 atitudes sustentáveis em moda, para você ajudar o planeta e as pessoas da forma que puder e quiser.

Comprar menos

As lojas de fast fashion oferecem novidades todas as semanas, e um estudo mostrou que as pessoas compram em média uma peça de roupa nova a cada 5 dias!!!

Consumo é diferente de consumismo e na consultoria de estilo eu não ensino a parar de comprar, e nem incentivo o consumismo. Comprar menos é comprar só o que precisa, só o que faz o olho brilhar, só o que faz sentido na sua rotina, no seu estilo, só o que vai te fazer fazer as roupas que você já tem renderem muito.

Outra boa opção para frear a produção de novas peças é consumir o que já foi fabricado, ou seja, comprar peças que já existam. Aqui eu falo sobre como comprar bem em brechós.

Comprar melhor

Comprar melhor nem sempre significa comprar peças caras ou que sejam atemporais, porque o seu estilo pode pedir alguma coisa mais moderna ou que esteja na moda, mas comprar melhor é sinônimo de valer o custo x benefício. Eu ensino aqui a calcular o valor da peça e saber se ela vale a pena ou não.

Comprar melhor também tem a ver com observar o caimento da peça no corpo, o acabamento (por dentro) e ver o material de que cada peça é feita: melhor escolher os naturais ou as composições que tenham maior quantidade deles (algodão, linho, lã, seda, viscose, rami, modal, tencel, cupro, liocel, bambu) — olhando a composição na etiqueta interna da roupa, como eu já falei aqui. Esse hábito é sustentável e garante conforto e aparência mais elegante, mesmo nas peças mais informais.

Para entender um pouco mais sobre tecidos, dá uma lidinha no meu texto que fala dos prós e contras do algodão e do poliéster.

Lavar menos

Quando você aprende a entender a etiqueta das roupas você sabe como ela deve ser lavada, mas na etiqueta não diz que você deve lavar ela sempre que usa, ou que ela vai estragar mais rápido se você lavar ela várias vezes. Isso você aprende na consultoria de estilo e lendo sobre tecidos, sobre consumo consciente e cuidado com as roupas.

No texto que eu comparo o algodão e o poliéster eu falo sobre a durabilidade das peças, sobre dar bolinha ou crescer e ter a vida útil reduzida pelas características do tecido e com os cuidados indevidos. Vale considerar se você transpira demais ou se consegue usar a mesma blusa duas vezes antes de lavar, se você tem uma rotina que suje muito a sua roupa (trabalho, crianças, etc), e colocar isso na ponta do lápis na hora de calcular o custo x benefício, que eu ensino aqui.

E se a roupa não estiver fedendo ou suja, experimente deixar ela pegando um ventinho por um tempo antes de guardar de volta ao invés de lavar de novo. Também vale experimentar o desodorante de roupas que as minhas professoras da Oficina de Estilo ensinam a fazer usando 1/2 de água, 1/4 de álcool, 1/4 de vinagre branco e umas gotinhas da essência de sua preferência, pra borrifar levemente na peça antes de voltar pro armário.

Cuidar do que se tem

Quando você se conscientiza do dinheiro que gastou em cada peça, dos benefícios que ela oferece pro seu estilo, pra sua silhueta e pra sua qualidade de vida (já que você não precisa gastar horas escolhendo o que vestir porque só tem peça que funciona), você se esforça para cuidar da peça da melhor forma, para que ela dure mais.

Tem peça que dá um furinho e não vale a pena consertar, outras mancham e a gente tinge, leva na lavanderia, reforma. É aquele ditado “quem ama, cuida”, e se você só tem roupas que ama, precisa cuidar delas – e honrar o seu dinheiro!

Comprar de perto e de pequenos

Sempre que eu posso, indico marcas pequenas aqui do Rio para as minhas clientes, ou busco marcas pequenas da região das minhas clientes da consultoria de estilo online, porque comprar do pequeno é incentivar os empreendedores locais, distribuir melhor a renda e pagar o preço justo por uma peça que é feita com mais cuidado e mais exclusividade que as peças produzidas na China para as lojas de fast fashion e grandes marcas, que lucram porque pagam barato pela mão-de-obra e por usarem tecidos de baixa qualidade.

Essas peças costumam ser um pouco mais caras que as peças de lojas maiores sim, e aí vale considerar tudo que a gente falou antes: vai durar mais? vai dar pra lavar menos? vale o custo x benefício? vai valer mais que outras 3 peças mais baratinhas?

Facebook Comments

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *