Consultoria de estilo

Quando eu descobri que ia trocar a carreira de Recursos Humanos pela consultoria de estilo, eu sabia que não era pra falar de roupas, e sim para cuidar das pessoas que vestem as roupas. Com a minha formação em Psicologia, eu poderia até me denominar uma “terapeuta de guarda-roupas”, mas a consultoria de estilo é muito mais que isso. É gostar mais do pé do que do sapato, como disse a Cris, da Oficina de Estilo, onde eu me formei.

O nome “Vestindo Autoestima” surgiu justamente porque a roupa é apenas o resultado material do trabalho, mas a cliente aprende muito mais que formas de vestir as roupas. Ela aprende a vestir autoestima, a gostar do que vê no espelho e a gostar da imagem que transmite para as outras pessoas através da forma como se veste. Quando a gente usa roupa uma roupa que empodera, que deixa a gente mais segura de quem a gente é, faz a gente querer ser vista e não entrar encolhidinha nos lugares, evitando os olhares, e isso impacta no comportamento, na forma de falar, no discurso… o impacto é pra vida!

O que é a consultoria de estilo

A metodologia que eu utilizo na consultoria de estilo é baseada no autoconhecimento, todo o trabalho é feito baseado em quem a cliente é e em como ela gostaria de comunicar quem ela é sem precisar falar nada. E como nenhum conhecimento é em vão, a escuta ativa e a atenção aos detalhes (mesmo os não verbais) que eu desenvolvi como psicóloga me ajuda a entender quem é a cliente, e conduzir ela nesse processo, que se traduz em imagem, ou seja, em roupas e acessórios.

A consultoria de estilo é um quebra-cabeças, que eu monto com pecinhas que a cliente me dá, que me falam da rotina dela, da personalidade dela, do que é importante, com as pecinhas que a formação que eu fiz na Oficina de Estilo (SP) me deu, que falam dos melhores tecidos, caimentos, estampas, cores, coordenações de peças, acessórios, modelagens e marcas de acordo com o estilo e as prioridades de cada cliente, além de falar sobre consumo consciente. E o resultado é sempre maior que saber o que vestir ou saber como usar as peças que tem.

Esse processo de tradução é baseado nas prioridades de alma (quem a cliente é, sua personalidade, seus valores e crenças) e as suas prioridades de vida (se ela precisa sentir-se confortável, sexy, criativa ou mais profissional,etc), e para cada prioridade existe indicação de tipo de roupa, acessório e coordenações específicas, que eu indico no dossiê da cliente para que ela se vista de acordo com quem ela é. Eu falo sobre as prioridades aqui e vou explicar melhor esse processo quando falar da etapa teórica, à seguir:

Como é a consultoria de estilo pessoal

O processo completo de consultoria de estilo é dividido em três grandes etapas, que acontecem em seis encontros:

  • Uma etapa investigativa, onde eu conheço a cliente (corpo, estilo, rotina, demandas e expectativas) e o guarda-roupas dela (o que ela usa pra cada situação, o que ela tem dificuldade de usar, o que gostaria de usar mas não usa, o que ela precisa usar mesmo sem gostar, o que faria diferença e o que não deveria estar ali, etc), assim como as melhores cores para ela (análise de coloração pessoal) e a relação dela com o seu corpo (o que ela mais gosta e o que ela não gosta tanto assim);
  • Uma etapa teórica, quando a gente fala da proposta de identidade visual dela, sugerindo novas opções e novas aquisições pra fazer as possibilidades do guarda-roupas dela se multiplicarem de acordo com as suas prioridades, e pra que ela veja o seu corpo de uma forma diferente, resultando em uma autoestima mais elevada;
  • Uma etapa prática, quando a gente treina a experiência de compras (o que olhar na etiqueta das peças, custo x benefício, como se olhar no espelho do provador e o que olhar) e a montagem de looks, quando a gente usa as peças que ela tem para montar looks que são coerentes com a imagem que ela gostaria de transmitir.

Eu falo mais sobre as etapas da consultoria de estilo nesse texto aqui.

Etapa investigativa da consultoria de estilo

Na etapa investigativa, além do questionário inicial, a cliente faz um exercício de referências visuais, que serve para eu entender com que imagens ela se identifica, o que faz o olho dela brilhar, e o significado de alguns conceitos que são muito individuais e que variam de pessoa pra pessoa, como elegante, confortável, bonito, feio, vulgar, sexy, básico, estiloso, moderno, etc.

Eu sempre uso os meus exemplos pessoais do que eu acho confortável e sexy, pra ilustrar: Conforto pra mim é sapato baixo, tipo rasteirinha e sapatilha. Pra cliente, pode ser um salto 15 anabela ou um salto mais grosso, ou tipo meia pata. Sexy pra mim é um decote nas costas, ombros de fora, um recorte estratégico. Pra cliente pode ser uma roupa mais justa, ou mais curta. Então, quando a cliente me mostra uma imagem e diz que aquele é o conceito de sexy dela, ou que a imagem transmite uma imagem sexy, eu sei exatamente o que ela espera, e não vou usar o meu próprio conceito para sugerir alguma peça.

Aliás, aqui cabe dizer que a consultoria de estilo deve ser isenta de julgamentos ou influência do gosto pessoal da personal stylist (mesmo nome pra consultora de estilo), e que mesmo que uma peça não combine comigo, ela vai ser indicada pra cliente, se fizer sentido pra ela. Ninguém vai sair da consultoria de estilo vestida como uma Priscila Citera 2, como acontece com as participantes do Esquadrão da Moda, que saem “fantasiadas” de Isabella Fiorentino. A consultoria de estilo é um trabalho quase artesanal, com um plano de ação feito sob medida para a cliente, sem fórmulas gerais que sirvam para todo mundo, e nem uma listinha de certo x errado definitiva!

coloracao-pessoal

Na análise de silhueta e na análise de coloração pessoal, o objetivo é o mesmo: definir o que vai deixar a cliente mais bonita, de acordo com a sua relação com o corpo e com as características da pele dela. Não importa se o corpo da cliente é tipo triângulo invertido ou ampulheta, mas como ela vê o bumbum grande dela, se a barriguinha incomoda ou não, o que ela gosta mais ou o que ela não gosta tanto assim.

As cores são os elementos que mais chamam a atenção em um look, e quando a gente define quais as cores e tons da cliente, através da análise de coloração pessoal, o guarda-roupas dela funciona como uma moldura que valoriza quem ela é, e as peças se tornam mais coordenáveis entre si, porque as peças combinam com quem ela é e com todas as outras peças que ela tem. O resultado da análise de coloração pessoal é uma cartela de cores com as cores e tons que valorizam as cores pessoais da cliente, de acordo com o tipo de pele dela (pele quente, fria ou neutra), se tem muito ou pouco contraste, profundidade, etc.

cartela-de-cores-coloracao-pessoal

Etapa teórica da consultoria de estilo

A etapa teórica é a entrega do dossiê, que é a proposta de identidade visual da cliente, com todas as informações que eu julgo importantes para que ela possa ter a imagem que ela gostaria.

Nessa proposta constam informações de tudo que é indicado para o estilo, silhueta, as as demandas da cliente, em relação a tecido, modelagem, cores, melhores estampas, acessórios, e tudo que ajude na tradução das prioridades dela.

referencias-dossie-consultoria-de-estilo

As prioridades podem ser de adequação, de conforto ou de impacto, sendo esse último para chamar a atenção, demonstrando poder ou de forma criativa. Uma mulher que tem filhos pequenos pode ter a prioridade de vida conforto, por precisar amamentar e ficar com a criança no colo por períodos grandes, além de precisar de abaixar toda hora, por exemplo, e ter prioridade de impacto criativo por sua personalidade. O trabalho da consultoria é indicar elementos para que o seu guarda-roupas seja coerente com essas prioridades, que falam de quem ela sempre será (prioridade de alma) e de como ela precisa se vestir agora (prioridade de vida).

Etapa prática da consultoria de estilo

Na revitalização do guarda-roupas, a gente tira tudo que está atrapalhando, que não vale a pena fazer funcionar, dando uma nova vida para as peças que vão ficar, fazendo elas funcionarem de formas diferentes, multiplicando as possibilidades de cada peça de acordo com o estilo da cliente, resultando num guarda-roupas mais versátil e coerente.

Quando a gente tira o que não funciona, a gente consegue ver o que realmente é a cara da cliente, e também vê o que tá faltando pra fazer tudo aquilo funcionar ainda melhor, com outra cara, de outras formas.

Na etapa de experiência de lojas é o momento de a cliente experimentar tudo que ela nunca usou, que ela não sabia como usar, que ela não sabia se ia ficar legal ou não. A maioria das compras é feito no automático, a gente compra mais do mesmo, repete fórmulas que funcionam e se mantém na zona de conforto, mas existe uma quantidade inimaginável de possibilidades para que o ato de se vestir todo dia de manhã deixe de ser um problema e passe a ser mais divertido. E o resultado da consultoria de estilo vem em forma de economia, porque essas compras por impulso deixam de acontecer (ou diminuem consideravelmente a frequência) porque a cliente aprende a comprar apenas o necessário, e troca o “não tenho nada pra vestir” pelo “eu tenho o suficiente para render muitas possibilidades”. Eu falo mais sobre essa etapa aqui.

A última etapa da consultoria de estilo é onde acontece a montagem de looks, quando eu mostro novas possibilidades com as roupas que a cliente já tinha e com as peças que ela comprou. Todos os looks são registrados, para servirem de guia para looks futuros, com todas as informações e imagem que cada um deles transmite.

montagem-de-looks-consultoria-de-estilo

Quem precisa de uma consultoria de estilo

Eu costumo dizer que a consultoria de estilo é um serviço pra quem precisa se vestir todos os dias, ou seja, é um serviço pra todo mundo. A gente é julgado o tempo inteiro pelo que a gente usa e por quem a gente é, e você não precisa se importar com a imagem que a atendente da padaria tem de você se você for comprar pão de pijama, mas não podemos ignorar o fato de que a nossa imagem pode nos prejudicar no trabalho, numa entrevista de emprego, num encontro romântico ou em vários eventos sociais.

Algumas situações demandam uma mudança maior no guarda-roupas e na forma de se vestir, como:

  • mudança corporal muito grande (emagrecimento ou ganho de peso);
  • mudança de empresa, de cargo, profissão ou para atender ao dress code profissional;
  • mudança de estado civil (solteiras que querem um novo amor ou dar um UP na autoestima e casadas que querem adaptar o guarda-roupas à nova rotina ou grupo social);
  • gravidez;
  • autoconhecimento e aprimoramento do estilo pessoal;
  • mudança de região (pessoas que moravam num lugar frio e passam a morar em um lugar mais quente, quem morava no interior e foi morar na Capital, etc);
  • elevação da autoestima;
  • economia de tempo e dinheiro gastos com roupas.

O nosso estilo pessoal é resultado das nossas escolhas e prioridades, e nesses momentos, existe uma necessidade maior de mudar as escolhas, porque as prioridades mudam. Mas, a consultoria de estilo é um investimento (menor do que você imagina) em você, e pode ser feito a qualquer momento da vida!

Benefícios da consultoria de estilo

Independente do motivo que faz alguém contratar uma consultora de estilo (ou personal stylist), o resultado é sempre o mesmo:

Eu falo mais sobre cada um desses benefícios da consultoria de estilo aqui.

Caso você queira me contratar para a consultoria presencial (no Rio de Janeiro) ou online (pro Brasil todo), me mande um email para priscila@vestindoautoestima.com.br ou por aqui e pague através de depósito bancário ou no PagSeguro, parcelando no cartão de crédito!