Autoestima, Girl Power

A comparação é inimiga da satisfação

A comparação é inimiga da satisfação

Antigamente, era comum uma mulher se comparar com uma artista e se sentir frustrada por ela sempre estar bem arrumada, com o corpo dentro das medidas padrão, sem se lembrar que as suas realidades eram muito diferentes. Que ela trabalhava com a imagem dela, que a imagem da artista é o seu instrumento de trabalho, e que a rotina dela permitia que ela fosse à academia todos os dias, recebesse tratamentos estéticos (muitas vezes de graça, em troca de alguma publicidade) e que usava muitas roupas que ganhava ou que a produção cedia para os seus aparecimentos em público.

Hoje a gente se compara com mulheres comuns, gente como a gente, com vida real, com rotina e salário real, e a frustração aumenta. Você fica feliz por ter perdido 2 kgs durante as férias, e depois se consola num pote de sorvete quando vê que a sua amiga da faculdade emagreceu 9 kgs no mesmo período. Você fica feliz por poder ir no feriado prolongado para Campos do Jordão, e depois a viagem (que tinha sido muito boa) perde a graça quando você fica sabendo que a sua colega de trabalho foi pra Buenos Aires.

Você posta uma foto que se achou linda depois de 15 tentativas de selfie, e depois se questiona porque só 10 pessoas curtiram sua foto (contando a sua mãe, a sua tia e a sua melhor amiga), e não as mesmas 200 que curtem as fotos daquela sua amiga, que posta uma selfie por dia.

Na consultoria de estilo é comum eu escutar das minhas clientes coisas como “minha amiga usa roupas mais interessantes”, “sempre me sinto a mais mal vestida do lugar”, “se eu pudesse, comprava cada semana uma roupa diferente, igual à uma menina que trabalha comigo” ou “queria comprar na loja que minha amiga indicou, mas meu orçamento só me deixa usar roupa de loja de departamento“, e por isso eu sempre falo que cada um faz o melhor que pode com os recursos que tem.

Tá tudo bem você não conseguir recuperar o peso depois da gravidez tão rápido quanto a sua prima. Tá tudo bem as suas fotos não terem tantos likes, você não ter tantas roupas, e sua rotina exigir que você empregue seu salário em outras prioridades.

Se você conversar com a atriz que você considera perfeita, ela vai dizer que odeia os pés dela e precisa usar um dublê de cena nas fotos. A menina que recebe 200 likes nas fotos vive se perguntando porque só recebe 200 likes se tem quase 1500 seguidores, quem viajou pra Buenos Aires queria mesmo era ter ido pra Nova York. A menina que perdeu 8 kg em um mês deixou de ver os amigos todos os finais de semana pra evitar pizza e cerveja. Já parou pra pensar que as pessoas que você considera mais felizes que você também podem ser infelizes por se compararem com outras pessoas? E se elas forem felizes com o que tem, isso é maravilhoso, fique feliz por elas! O sucesso dela não significa que você fracassou!

A vida perfeita e o corpo perfeito são irreais, e enquanto você sonha com coisas que não tem (e que talvez nunca venha a ter), te impede de ficar feliz com o que você tem. Essa comparação e essa cobrança são injustas

Se você quiser mais, compare-se apenas com você: “Nessas férias eu perdi 2 kg, na próxima eu vou perder 4 kg”. “Nesse feriado eu fui pra Campos do Jordão, no próximo eu vou pra Gramado”, “Vou juntar dinheiro pra comprar aquela blusa daquela loja ao invés de comprar duas na loja de departamento”.

Não faça isso com você. Não se compare demais. Não se exija demais. Não se cobre demais. Cuide de você com carinho, se orgulhe de suas vitórias (mesmo as pequenas) e não se permita ficar infeliz.

 

Facebook Comments