Autoestima

Não seja a razão de alguém: 13 reasons why, moda e autoestima

Não seja a razão de alguém: 13 reasons why, moda e autoestima

Ontem eu acabei de ver a série “13 reasons why”, que fala sobre os 13 motivos do suicídio de uma adolescente. e sem querer dar spoiler (mas já dando um pouquinho, desculpa!!), acho que todos nós, em algum momento (ou em vários, mesmo sem intenção) damos motivos para as pessoas ficarem infelizes e pensarem que a morte seria uma forma de acabar com o seu próprio sofrimento.

Essa série da Netflix me impactou bastante, e eu queria escrever sobre isso, trazendo o assunto para a minha área, que é moda e estilo, porque grande parte dos motivos de a Hannah Baker (personagem principal de 13 reasons why) ter se matado foi o bullying que ela sofria na escola, e apesar de o estilo dela não aparecer como motivo, a forma como as pessoas se vestem pode desencadear uma série de julgamentos, olhares, críticas e sofrimento.

Quem nunca julgou uma mulher pela roupa que ela usava em uma situação?

  • Vulgar demais por estar com uma roupa mais justa ou decotada.
  • Estranha demais por misturar estampas.
  • Esquisita demais por só usar roupa preta.
  • Careta demais por usar roupas mais comportadas.
  • Pobre demais, por só usar marcas baratas.
  • Fútil demais, por gostar de moda.
  • Gorda / magra / alta / baixa ou velha demais pra usar esse tipo de roupa.

Sem contar com as situações de estupro, onde muitas mulheres são julgadas pelo que estavam vestindo na hora da violência, como se um shorts curto ou uma blusa decotada fosse um convite ou justificasse tamanha maldade.

Eu sempre digo que apesar de ter saído da Psicologia pra trabalhar como consultora de estilo, a Psicologia não saiu de mim (o que é muito bom!!), e que mais importante que a roupa é a pessoa que usa a roupa, e por isso, uso esse espaço para fazer as pessoas pensarem sobre as várias formas como a moda pode influenciar a vida de alguém, positivamente ou negativamente, e o nosso papel na sociedade.

Quando escrevo esses textos no site, ou estou com uma cliente da consultoria de estilo, eu sei que mais que cuidar do guarda-roupas dela, eu estou cuidando da autoestima dela, e ajudando a mudar a forma como ela se vê, que impacta na forma como as outras pessoas a veem e a tratam, que impacta de volta na forma como ela se sente, que impacta na autoestima dela. Tá tudo ligado!

O ser humano é diversificado e não tem nada de errado em as pessoas terem gostos diferentes, e estilos diferentes. Você não é obrigada a achar ninguém bem vestido (de acordo com o seu conceito de “bem vestido”), ou bonito, mas a gente PRECISA respeitar essa diversidade e o direito que todo mundo tem de gostar de alguma coisa diferente do seu gosto e estilo pessoal.

Um olhar recriminador para uma mulher que já é insegura com o seu corpo ou o seu estilo pode causar estragos enormes na vida dela, e por isso, o meu pedido é por mais empatia e amor pelo próximo. O meu pedido é que você não seja o motivo da infelicidade ou do suicídio de alguém.

Menos julgamento e mais empatia, por favor!

Facebook Comments